23/01/2014

Penteadeira após banho de tinta cor-de-rosa

 photo Semtiacutetulo-1.png

O móvel, antes largado em uma loja de usados de Belo Horizonte, voltou à ativa após um banho de tinta cor-de-rosa - que também driblou os efeitos do tempo...

O tampo estava estufado, a pintura tinha perdido o brilho e os puxadores eram um horror. Jogada em um cantinho de um topa-tudo – nome pelo qual os mineiros chamam as lojas de móveis usados -, a penteadeira atraiu a atenção da designer de interiores Cátia Maiello e da arquiteta Claudia Aragão, de Belo Horizonte. Não foi à toa: com o olhar treinado para descobrir itens antigos donos de forte potencial para a renovação, elas perceberam que, repaginada com tinta e tecido, a peça seria um belo exemplo do trabalho de restauro que desenvolvem no Casatelier, estúdio que também realiza projetos de interiores. “De início, muitas pessoas não curtem tanto a ideia de customizar um móvel. Mas, quando o veem pronto, tudo muda!”, conta Cátia.


Cor-de-rosa para driblar os efeitos do tempo

- Bancada e espelho solto, para pendurar na parede, compunham a penteadeira. O primeiro passo foi unir as duas partes, fixando uma placa de MDF no avesso da estrutura do espelho e parafusando-a na face traseira da mesa. Cola para madeira reforçou o encontro.

- Apenas a folha superior do tampo foi substituída.

- A tonalidade rosa da pintura laqueada (tinta automotiva ref. S 141, da Sayerlack), feita em cabine pressurizada pela FF Acabamentos, garantiu o ar romântico da peça.

- Capítulo à parte, as gavetas não apenas cobriram-se de tinta por dentro e por fora como também suas frentes ganharam tecido em três padrões, aplicado com cola branca.

- Para arrematar a reforma, as profissionais se livraram dos puxadores redondos: “Os quadrados são mais moderninhos”, avalia a designer de interiores.
Fonte:. casa.abril.com.br